Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Give me 5 minutes

Give me 5 minutes

"Pecados" de Fim-de-Semana

O fim-de-semana está aí à porta e com ele chegam dois dias em que descansamos e "pecamos."

De segunda a sexta o nosso foco é fazer uma alimentação cuidada, evitando os ditos “alimentos proibidos” fritos, massas, doces, refrigerantes e outros. Mas no fim-de-semana como temos mais tempo disponível, começamos a sentir  algum desejo dos "alimentos proibidos" e a pessoa  pensa, porque não fazer um bolinho? 

E como não quero "pecar" sozinha, porque sozinha as coisas não tem graça nenhuma, resolvi partilhar com vocês a receita do bolo de cenoura com cobertura de chocolate que vou fazer para o fim-de-semana. 

 

Ingredientes para a massa:

  • 360 g de farinha
  • 300 g de cenouras descascadas
  • 240 g de açúcar
  • 4 Ovos
  • 1 dl de  leite
  • 1 dl de óleo
  • 1 colher (sopa)  de fermento em pó
  • Margarina para untar
  • Farinha para polvilhar

Ingredientes para a calda:

  • 250 g de chocolate em pó
  • 1/2 copo de leite (Que podem substituir por 2dl de natas)
  • 2 colheres de sopa de açúcar
  • 2 colheres (sopa)  de margarina

 

Preparação

  1. Descasquem as cenouras e ralem-nas.
  2. Num copo misturador, juntem as cenouras raladas, os ovos, o açúcar, o leite e o óleo e batam durante aproximadamente 4/5 minutos
  3. Deitem esta mistura para uma taça e adicionem a farinha e o fermento em pó e batam bem.
  4. Escolham uma forma, barrem com margarina e polvilhem com farinha.
  5. Vertam para a forma o preparado anterior e levem ao forno (+- 180ºC) até estar cozido. Vão espreitando ou usem um palito para irem vendo se o bolo esta cozido.
  6. Depois de cozido deixem arrefecer.
  7. Entretanto preparem a calda
  8. Num tacho juntem o chocolate em pó com o leite ou as natas e a margarina e levem ao lume até terem uma calda cremosa.

Um bolo muito simples e rápido de fazer e como existem muitas variantes deste bolo deixo-vos aqui  um link de um site que mostra 249 sugestões. 

Experimentem e  partilhem aqui a vossa versão.

Bom Apetite!

 

bolo-de-cenoura-perfeito.jpg

 Imagem retirada do pinterest

 

 

Vamos lá tentar disfarçar as rugas


Experimentei o Creme Facial da Vichy "Liftactiv Supreme". Até agora o que posso dizer é  que é um produto de rápida absorção com  um perfume e uma  textura muito suaves. É um creme que suaviza e tonifica o rosto.  

Pode ser usado como creme de dia ou creme de noite e promete combater os sinais de envelhecimento, enquanto hidrata intensamente, neutralizando o aparecimento de rugas ao mesmo tempo que reafirma a pele.

Ainda não usei  tempo  suficiente para confirmar tudo isto.

Até ao momento só posso atestar que tem uma textura suave e que é rapidamente absorvido deixando a pele muito macia.

11091745-1104588464607797.jpg

 Imagem retirada  daqui

 

Eu vou ao Festival do Crato

Arranca hoje a 34ª edição do festival do Crato.

Há semelhança de anos anteriores a vila do Crato volta  a acolher algumas das melhores bandas nacionais e internacionais.

O festival que ocorre de 28 de Agosto a 1 de setembro, conta ainda com uma mostra de artesanato e gastronomia.

Como novidade no festival  e porque o crato recebeu pela Valnor o estatuto de “EcoEvento”serão utilizados, pela primeira vez, copos reutilizáveis de 20cl e 50cl, pelo que no recinto serão colocados diversos ecopontos e serão levadas a cabo algumas ações, quer de alerta para a adoção de comportamentos preventivos, quer para a importância da  separação de  embalagens,  bem como para a necessidade de promover a recolha seletiva e encaminhar os resíduos para reciclagem. Serão igualmente desenvolvidas ações de sensibilização junto de campistas e comerciantes.

Os bilhetes  diários variam entre os 12 e os 15 Euros,  e o passe de 4 dias  varia entre 32 e 42 Euros sendo este último com acesso ao camping ocasional. Estes segundo informação disponivel  na página da Camara Municipal do Crato "A partir de 16 de agosto (inclusive) os passes para quatro dias (com ou sem acesso a camping ocasional) têm um valor acrescido de 10€".

 As crianças até aos 12 anos desde que acompanhadas por adulto portador de bilhete válido tem entrada gratuita.

Quem ficou sem bilhete pode tentar adquirir  nos locais habituais e também na  Ticketline e nos  CTT.

No Recinto do festival podem ainda jantar no restaurante oficial  que disponibiliza a ementa  e o preço aqui .

O cartaz e outra informação fica disponivel aqui 

 

Encontramo-nos por lá 

Escapadinhas

Igreja da Praia da Vieira.

Segundo consegui apurar esta igreja foi construída em 1973 no mesmo local onde antes terá  existido uma pequena capela.

Ao contrário  da pequena capela, esta construção  foi toda feita em madeira. 

Estando na praia da Vieira é  um edifício  que pela sua originalidade vale a pena visitar.

Se tiverem mais informação sobre esta igreja partilhem  aqui.

InShot_20180822_183720633.jpg

 

Escapadinhas

Hoje deixo-vos uma sugestão para uma escapadinha de fim de semana  e para quem precisa relaxar.

O Palace Hotel Monte Real, Termas e SPA.

Quem  vai aproveitar esta sugestão ?

InShot_20180821_041734847.jpg

 

Salada de feijão frade com...

De regresso ao Alentejo e com a nova subida da temperatura, não tenho coragem de me enfiar na cozinha ligar o forno e  preparar refeições muito demoradas. Como tal nestes dias muito quentes  opto muitas vezes  por saladas frias que são rápidas e muito fáceis  de preparar.

O que vos trago hoje é uma salada de feijão frade, que tanto pode ser consumida a quente como a frio.

Embora seja uma receita muito simples existem muitas variantes dependendo da criatividade e gosto de cada um.

Deixo-vos a receita que habitualmente faço.

 

Ingredientes:

  • 300 gr de feijão frade.
  • 2 latas de atum ( podem também usar restos de bacalhau).
  • 3 ovos.
  • 1 cebola média.
  • 1 ramo de salsa.
  • azeitonas.
  • Azeite a gosto.
  • Vinagre a gosto.
  • Sal a gosto.

Preparação:

  1. Ponham o feijão de molho de um dia para o outro. No dia seguinte, cozam o feijão na panela de pressão, com água suficiente para cobrir o feijão. ( se usarem feijão de lata devem lavar bem e escorrer).
  2. Cozam os 3 ovos num recipiente com água e sal durante aproximadamente 8 min.
  3. Piquem bem: 
    • a cebola;
    • a salsa e 
    •  2 ovos.
  1. Escorram o atum e piquem bem.
  2. Numa taça misturem o feijão, a cebola, a salsa (reservem um pouco para decorar no final) os ovos picados  e o atum e temperem a gosto com o azeite, vinagre e sal.
  3. Depois de temperado, disponham numa saladeira e decorem com  o 3º ovo, algumas azeitonas e um pouco da salsa picada.
  4. Podem consumir o prato quente ou se preferirem levem ao frigorífico a refrescar.

Experimentem e  partilhem aqui a vossa versão.

Bom Apetite! 

 

 

 

salada de feijão frade  2 .JPG

  Imagem retirada do pinterest
 ( acabámos a salada e esqueci-me de tirar uma  foto)

Sunset

Para assinalar o dia mundial da fotografia tenho que partilhar convosco  mais um pôr do sol no alentejo.

Por muito bonito que seja o pôr do sol em qualquer parte do país, as  cores que revestem o pôr do sol  no Alentejo  dão- lhe uma beleza  única. 

InShot_20180819_195101883.jpg

 

Ainda sobre Monchique

Estive em Monchique em outubro de 2017 e fiquei fascinada com a beleza natural, com a paz e tranquilidade que aquela serra nos proporcionava, no entanto e como tinha muito presente o incêndio em Pedrogão Grande, algo me preocupou quando passeava por lá. Se por ventura um incêndio deflagrasse em Monchique como seria combatido? Durante o passeio pareceu-me que as estradas eram estreitas e os acessos ao mato ou eram inexistentes ou inadequados para grandes viaturas.

Foi com muita pena e preocupação que a 03 de agosto de 2018 tomei conhecimento do início do incêndio nesta serra tão bonita.

Ainda que fosse uma Serra com muita vegetação, difíceis acessos, e tendo o vento como inimigo, adversidades perfeitamente válidas muito me surpreende a duração e extensão deste incêndio e passo a explicar o porquê.

Parece que quanto mais ferramentas e tecnologias temos ao nosso dispor, mais inabilitados estamos para solucionar os problemas. Hoje em dia dispomos de  telemóveis, de aplicativos como o Google earth o Google maps, helicópteros… e nada disto tem ajudado…

Quando era mais jovem lembro-me de grandes incêndios (em especial no Alentejo) onde as cooperações de bombeiros que contavam essencialmente com bombeiros  voluntários e dispunham de poucos recursos conseguiam  a proeza  não só de dominar os incêndios mais rapidamente como também  travá-los para que a área atingida não fosse tão extensa.

Talvez porque antigamente quem estava à frente do “teatro de operações” (expressão tão utilizada hoje em dia) no terreno e não em frente a um computador era o comandante dos bombeiros que conhecia bem a zona, sabia exatamente os caminhos que podiam usar e que veículos lá podiam circular, também na falta de tecnologia os bombeiros aceitavam a colaboração dos locais que são os que melhor conhecem o terreno.

Antigamente além de se protegerem as vidas humanas tentava-se igualmente proteger os bens das pessoas, hoje em dia, os bens parecem ter passado para segundo,terceiro ou quarto plano…

E sou só eu que acho que as voltas que os helicópteros fazem com as descargas de água, seria de facto mais eficaz se ao invés de água utilizassem a tal “ calda retardante”? É que na minha modesta opinião a água poderá ajudar em pequenos reacendimentos, mas em incêndios com esta força e dimensão, penso que a água nem chega a tocar o solo, evapora a meio do trajeto…

Na tranquilidade, conforto e segurança do meu lar  lá fui assistindo às imagens deste incêndio que os diversos canais  de televisão iam  transmitindo e estava chocada não só com a tragédia que se estava a abater sobre aquelas populações como também com a “vida e força “ que o incêndio estava ganhar.

Se as imagens por si só me chocaram, será que conseguimos imaginar o drama de quem estava no local, que se via impotente para salvar os pertences de uma vida  fossem os seus ou dos outros, que sentia o cheiro a queimado, que  ouvia o estalar das árvores a arder,  que sentia o bafo quente do fogo…???

O que resulta deste desabafo é só e apenas o  tentar compreender quantas mais tragédias serão necessárias para  se perceber que estamos a trabalhar mal? Será difícil enxergar que só reunindo esforços poderemos combater com sucesso estas catástrofes?

Desta vez as pessoas foram salvas mas as vidas delas nunca mais serão as mesmas. As pessoas foram salvas e o resto que se perdeu?

Resta-me deixar aqui Um Reconhecimento aos soldados da paz pela coragem, resistência e persistência. OBRIGADO!

 

 

 

 

20171026_181311.jpg

 Caldas de Monchique 

Pág. 1/2